quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Viagem a Madrid: Dia 2

No segundo dia da viagem a Madrid, saímos do hotel por volta das 10h30, tomamos o pequeno almoço no Starbucks de Callao e dirigimos-nos a pé até ao imponente Palácio Real de Madrid. O Palácio Real de Madrid é a residência oficial do rei de Espanha (apesar de este só o usar para ocasiões de gala) e a sua construção foi terminada em 1892. É um edifício do estilo barroco e com os seus 135.000 m² é o maior palácio da Europa Ocidental. Para entrar estivemos cerca de 15 minutos na fila debaixo de um sol e calor intensos e em vez de 10€ pagamos 5€ cada um, por sermos estudantes (preços). Foi dinheiro bem empregue, pois o palácio tem de facto belas salas e salões com muito requinte. Infelizmente, não era permitido tirar fotografias no seu interior. De salientar que nesta zona estivemos também nos Jardines de Sabatini e na Plaza de Oriente e que vimos, por fora, a Catedral de la Almudena (que em 2004 recebeu o casamento real do príncipe herdeiro Felipe com Letizia Ortiz). Ficamos nesta zona do palácio durante cerca de 2h e quando saímos estava na hora de almoçar.

Esquina Nordeste do Palácio Real de Madrid
Fachada Sul do Palácio Real de Madrid
Catedral de Almudena
Jardines de Sabatini

Depois do almoço, caminhamos no sentido da famosa Puerta del Sol. A Puerta del Sol é uma praça que tem vários pontos de interesse: é nela que se situa o quilometro zero da rede viária de Espanha; é lá que está a Real Casa de Correos, cujo relógio tem a "responsabilidade" de fazer o countdown no réveillon; e é nela que podemos ver a estátua Oso y el Madroño (O Urso e o Medronheiro), escudo e um dos símbolos da capital. Também tivemos a oportunidade de ver o bastante noticiado acampamento dos indignados do movimento 15M no centro desta praça ,movimento que agitou muito a cena política de Espanha em 2011. Como continuava a estar muito calor decidimos ir para o hotel fazer uma siesta.

Puerta del Sol
Puerta del Sol
Oso y el Madroño
A agradável Calle de Preciados é uma rua pedonal que liga a Puerta del Sol a Callao

Às 17h estávamos a chegar a outra praça famosa de Madrid: a Plaza Mayor. A Plaza Mayor fica quase ao lado da Puerta del Sol e distingue-se por ser uma praça rectangular (129m x 94m), que se encontra rodeada em toda a sua extensão por edifícios de três andares, só sendo possível entrar e sair através dos nove pórticos existentes. De destacar que já aconteceram três incêndios nesta praça e que antes esta estava rodeada por edifícios de 5 andares.

Um dos 9 pórticos de entrada para a Plaza Mayor
Plaza Mayor (no verão havia muitas vezes concertos aqui, o que "estragava" as fotos)
Pórtico da Plaza Mayor
Rua à saída da praça, com muitos artistas a pintarem e a venderem quadros
Dois pórticos da Plaza Mayor
O pórtico pelo qual saímos e continuamos o roteiro.

Saímos por um dos pórticos e em menos de 100m já estávamos a avistar o bonito Mercado de San Miguel, onde entramos e aproveitamos para pedir um gelado. Depois seguimos sem rumo e passado 5 minutos estávamos novamente na Plaza de Oriente à frente do Palácio Real, onde tínhamos estado de manhã. Assim sendo, decidimos ir até ao Templo de Debod, que fica também ali ao pé. O Templo de Debod é um dos poucos testemunhos arquitetónicos egípcios completos existentes fora do Egipto e foi oferecido, em 1968, pelo Estado egípcio a Espanha como reconhecimento pela ajuda dada no salvamento dos templos de Abu Simbel.

Exterior do Mercado de San Miguel
Interior do Mercado de San Miguel
Vista para a Plaza de Oriente
Plaza de Oriente
Vista para o Templo de Debod
Templo de Debod
Templo de Debod
Templo de Debod

Depois retornamos ao hotel, jantamos e a noite estava reservada para conhecermos a famosa noite do bairro da Chueca. O bairro da Chueca é conhecido desde os anos 90 como o bairro gay da cidade e é aqui que nos finais de junho de cada ano se realizam as festas do orgulho gay da capital, que atraem mais de 1 milhão de visitantes. Decidimos beber um copo em alguns bares e depois ir até ao Pacha de Madrid. Chegamos ao hotel às 04h00.